Blog

Welcome to my blog

Roteiros

Estrada Nacional 2 – Day 3

Terceiro dia na Estrada Nacional 2– 27 de Abril de 2019

Parece impossível… mas cumprimos o objectivo – Chegámos à Sertã!!

Durante o terceiro dia de estrada o corpo e a mente já se ressentem. Estamos cansados, mas durante o dia de hoje conseguimos fazer 10 localidades: Viana do Alentejo – Montemor-o-Novo – Coruche – Mora – Avis – Ponte de Sôr – Abrantes – Sardoal – Vila de Rei – Sertã.

A noite passada no Monte da Serralheira foi das melhores escolhas de sempre. Acordámos cedo, pois não queríamos perder tempo de manhã e pormo-nos à estrada mas acabámos por aproveitar um magnífico pequeno almoço mega revitalizante. Assim que abri a porta do quarto fui brindada com um caloroso “Bom dia” de quatro Rafeiros Alentejanos – fizeram a minha manhã. Um delicioso pequeno almoço no jardim do Monte enquanto apanhávamos os primeiros raios de sol bem quentes, a fazer festas aos animais e a ouvir o chilrear dos pássaros… bem, ficava ali a vida toda. Os donos do Monte são um casal de Holandeses muito simpáticos que ficaram maravilhados com a nossa historia da Nacional 2, tanto que iam fazer também.

 

Let’s start… once again!

Baterias carregadas, mimos caninos no nível máximo completamente prontos para mais um dia, bora lá e pé na estrada. Primeira paragem e primeiro carimbo do dia – Castelo de Viana do Alentejo. Normalmente paga-se entrada no Castelo, mas hoje era dia de festa, pagou a Santa (expressão utilizada pelo próprio guia do castelo). O Castelo de Viana é diferente de todos os Castelos que temos visitado, tem muralhas, mas as torres são em forma cónica e no seu interior estão duas igrejas. No dia de hoje estavam a decorar o local pois centenas de romeiros oriundos de vários pontos do país vinham na Romaria a Cavalo que liga os concelhos da Moita e Viana do Alentejo. Como cresci na Moita e esta Romaria é bastante conhecida, fiquei mais tempo em Viana a viver aquela magia desta grande festa.

‘Bora para Mora…

Em Mora tínhamos bem definido que queríamos visitar o Fluviário. O Fluviário de Mora é um aquário público dedicado aos ecossistemas de água doce. Com diversas áreas de conhecimento, a visita a este aquário sensibiliza-nos para a necessidade de cuidarmos cada vez mais destes ecossistemas que acolhem diversas espécies, algumas delas a sofrer o flagelo da extinção. O bilhete do Fluviário é 7,20€ e tivemos o “brinde” de mais um carimbo no passaporte e de ficar frente a frente com uma Piton. Avis é o município seguinte e este fica meio afastado da EN2. Já conhecíamos bem Avis, quando passámos um fim de semana na Herdade da Cortesia, por isso fomos diretos ao Posto de Turismo para receber o carimbo e seguimos de imediato para Ponte de Sôr.

E que… Sôrpresa!

O Posto de Turismo estava fechado e ainda bem! Aos sábados o Posto de Turismo opera no Centro de Artes e Cultura e tivemos uma mega visita guiada ao espaço multidisciplinar, cuja estrutura alberga o Centrum Sete Sóis Sete Luas, a Fundação das Casas de Fronteira e Alorna, o Teatro da Terra, a Biblioteca Municipal, o Centro Museológico e Serviço Educativo. Na visita guiada que nos proporcionaram, tivemos a oportunidade de observar o Maior Mosaico do Mundo feito com mais de 300 mil rolhas de cortiça, num total de 157,12 m². Na mesma visita ao Centro das Artes e Cultura, vivenciámos a história da região observando as máquinas de lavagem, secagem e ensacamento de arroz. Ponte de Sôr é surpreendente no que toca a Artes, na cidade é possível ainda encontrar murais feitos pelo artista Marco Burresi ou Zed1.

Abrantes…

Chegámos finalmente a Abrantes, a cidade que era o meu objetivo para dormirmos no 2º dia. Deslocámo-nos ao Welcome Center para solicitar o carimbo mas para surpresa nossa, ao invés do carimbo, tinham um autocolante da cidade – marcou até agora pela diferença. Quando a minha irmã soube que estávamos a passar por Abrantes, pediu fervorosamente que fosse ver a mais velha Oliveira do Mundo (mais de 3350 anos) que segundo ela se encontrava em Abrantes e que lhe enviasse umas fotos… mas Sandra, a Oliveira está em Cascalhos e fica fora da N2. Mas não há problema, depois de coleccionarmos os carimbos de Abrantes e Sardoal, onde lanchámos numa loja regional, aí mesmo no Sardoal encontrámos um “Eucalipto Grosso”. Uma árvore de grande porte, classificada como monumental, cumpre o propósito, não?! Não há Oliveira, há Eucalipto, para que não te falte nada, Mana!

Terceiro dia a terminar…

A caminho de Vila de Rei passámos pela Praia Fluvial do Penedo Furado um autêntico paraíso, que junta praias, lagoas/piscinas e pequenas quedas de água. O acesso às zonas mais reconditas é feito por passadiços, tal como os famosos passadiços de Paiva. A água é cristalina, límpida e gelada, mas o local transmite uma paz pelo som do vento na vegetação e da corrente da água a seguir pelo seu leito. Um local mágico que nos brinda com uma paisagem natural onde o verde da vegetação e o cinza das rochas se espelham nas águas cristalinas. Vale muito a pena uma visita.

Terminámos por hoje os nossos carimbos na Sertã. O Posto de Turismo já se encontrava fechado e amanhã (domingo) está encerrado. Como já fizemos mais de meio Portugal e já perdemos a vergonha, jantámos no Restaurante Ponte Romana, com uma vista deslumbrante sob a Ponte e aí pedimos para nos carimbarem o Passaporte – sem nada ter que ver com a Rota, mas não queríamos ficar sem marcar a região. O dono do restaurante ficou inclusivamente bastante agradado em poder contribuir para a nossa Romaria – “Ahh isso é o da Nacional 2” – Acho honestamente que cada vez mais a marca EN2 ganha mais seguidores e amantes… não só pela forma calorosa como as pessoas nos abordam, como pela quantidades de pessoas com que nos cruzamos que estão a fazer a Rota, e é completamente merecido!

Amanhã começamos por Pedrogão Grande e o objetivo é dormirmos em Viseu cumprindo 9 localidades no Passaporte. Amanhã é Domingo e temos o desafio de alguns Postos de Turismo estarem fechados, vamos ver a quem pedidos para carimbar o nosso passaporte?! 😂

O corpo já pede descanso…

Hoje queríamos ficar a dormir perto de Pedrogão Grande, para não perdermos muito tempo a voltar à estrada. Encontrámos um Hotel na média do que temos estado a gastar em Figueiró dos Vinhos – Hotel Rural Solar das Feiras. 47,5€ com pequeno almoço. Não estamos a ser muito exigentes, só queremos uma cama, uma wc, wifi e que seja perto do próximo destino. Vamos ter tempo para descansar…

Até hoje, desde que saímos de Lisboa foram percorridos no total 1050 km (já com a A2 até Faro).

Dia 3 – Viana do Alentejo – Montemor-o-Novo – Coruche – Mora – Avis – Ponte de Sôr –
Abrantes РSardoal РVila de Rei РSerṭ = 211 km

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dia 2 – Loulé – Almodôvar – Castro Verde – Aljustrel – Ferreira do Alentejo – Alcácer do Sal = 195km

Dia 1 – Lisboa – Faro (A2) – Faro – S. Brás de Alportel N2 – (17km)

 

Fiquem atentos para saberem se amanḥ cumprimos o objetivo proposto РDormir em Viseu!

Podem continuar a seguir todo o percurso no meu instagram.

 

E se ainda tiveres tempo:

You Might Also Like


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *